Algum vermelho? Sim, por favo

Algum vermelho? Sim, por favo

Finalmente, podemos dizer que o atum rabilho entrou nas cozinhas do nosso país, e está aqui para ficar. Muitos restaurantes (não só específicos da cozinha asiática) já o incluíram nos seus menus e estão a trabalhar com ele para criar receitas de delicatessen que surpreendem todos os comensais. Quer saber mais sobre este ingrediente? quais são as suas principais características? e onde o podemos provar?

O atum rabilho é um delicioso peixe azul que é muito procurado pelo mercado japonês para sushi ou sashimi. É um peixe que pode ser encontrado em alguns pequenos recantos do nosso mundo e que se destaca especialmente pelo seu sabor e textura, bem como pelos seus muitos benefícios nutricionais. Para começar, tem um elevado teor de vitaminas B, bem como de fibras e proteínas. É também muito rico em ácidos gordos ómega 3, que previnem o aparecimento de doenças cardiovasculares, e tem um elevado teor de triglicéridos, o que ajuda a controlar o colesterol sanguíneo. Mas… o que é que existe para além das suas particularidades nutricionais? O atum rabilho é sem dúvida conhecido por uma técnica de preparação específica (que é bem conhecida dos “resmungões”) e uma longa lista de receitas saborosas que não passam despercebidas. Por isso, vamos dar o passo a passo:

A técnica “ronqueo”: este é o nome dado ao ritual de corte do atum rabilho fresco. Uma técnica que deve o seu nome ao som que a faca faz quando entra na carne saborosa deste peixe. Uma tradição meticulosa da cozinha oriental que pode ser um verdadeiro espectáculo. Acontece quando o “ronqueador” faz vários cortes nos lombos do atum para extrair pedaços vermelhos suculentos e brilhantes. Estas diferentes peças, ou partes do atum, são adequadas para um tipo diferente de preparação. Por exemplo, a carne à volta dos ossos é perfeita para preparar um tártaro, enquanto que os lombos são ideais para um delicioso tataki. Se quiser ver como este ronqueo é feito, recomendamos este vídeo.

Onde se pode desfrutar? Em muitos restaurantes. Um exemplo é Bacira, um restaurante localizado no bairro Chamberí (Madrid). Uma das receitas estreladas é o atum picante com abacate, alga marinha wakame e toranja rosa. E se gostar de manga, recomendamos os seus tataki de atum com coas, chutnet de manga e piparras. Receitas exóticas prontas para que qualquer cliente de restaurante possa desfrutar do sabor original do atum rabilho.

Já o experimentou?