Lista de frutas exóticas que se podem comprar em Espanha

Lista de frutas exóticas que se podem comprar em Espanha

O calor chega e começamos a ter vontade de comer fruta fresca mais do que nunca, enquanto desfrutamos do bom tempo. No entanto, parece que não saímos do típico tandem do melão e da melancia. Bem, adivinhe: há muitos frutos exóticos que provavelmente ainda não conhece e são uma alternativa perfeita para os frutos “habituais”. Antes de começar a pensar que só poderá experimentá-los se estiver numa praia das Caraíbas, deixe-me dizer-lhe que muitos frutos exóticos já são cultivados em Espanha e que pode encontrar muitos deles no supermercado onde faz as suas compras regulares.

Comer frutos exóticos, tal como comer fruta em geral, é uma forma saudável de fornecer vitaminas e nutrientes necessários para o nosso organismo. Contudo, o factor positivo que os frutos exóticos proporcionam é o seu sabor e aparência, uma vez que o nosso olho os percebe como algo novo e nos encoraja a comê-los. E o aumento da nossa ingestão diária de fruta irá sempre trazer-nos benefícios para a saúde.

Além disso, hoje em dia, já não é necessário viajar para Cancun para poder experimentar a maioria das frutas exóticas, mas é possível encontrá-las em lojas e supermercados em Espanha. Málaga é a província onde todos estes frutos são cultivados, devido ao seu clima subtropical em algumas regiões. Além disso, sendo uma compra de proximidade, o estado dos frutos é de melhor qualidade do que os importados de outros países, uma vez que o processo de transporte é consideravelmente reduzido.

Frutas exóticas que se podem comprar na nossa loja online

© Diseño web imacreste

Lista de frutas exóticas que se podem comprar em Espanha

MANGO
A manga é um fruto tropical de origem asiática (Índia, Birmânia e Ilhas Andaman) com um sabor doce. Apesar de ser uma fruta exótica, é consumida em Espanha há muitos anos, pelo que é um nome que a maioria das pessoas já conhece. Esta fruta não é apenas apreciada por ser deliciosa, mas por tudo o que pode contribuir para o nosso corpo. É rico em vitaminas A, B e C, antioxidantes e minerais como o potássio e o magnésio. Se ainda não o experimentou, experimente, não se arrependerá.

PITAHAYA
Também conhecida como fruto do dragão, a pitahaya é um fruto nativo do México que se tornou muito popular devido à sua aparência. A sua casca tem uma espécie de pele em camadas que se assemelha às escamas da pele de um dragão, embora a carne no seu interior seja branca com sementes pretas.

A pitahaya pode ser encontrada em duas variedades, vermelha e amarela, sendo esta última mais doce na degustação. É também uma fruta rica em vitamina C e minerais tais como fósforo, cálcio e ferro.

PAPAYA
A papaia é uma fruta tropical nativa da República Dominicana. A sua polpa é laranja e é reconhecível pelas suas sementes pretas redondas localizadas na sua parte central, a propriedade mais notável deste fruto é a sua fácil digestibilidade. É também rica em vitamina C e provitamina A, bem como em ácido fólico e potássio.

KUMQUAT
O kumquat, também conhecido como a pequena laranjeira, é um fruto exótico nativo da China. Poder-se-ia dizer que pertence à categoria dos citrinos, com a particularidade de ser consumido com a casca, que tem um sabor mais doce que a polpa. Como um bom citrino, o kumquat é rico em vitamina C, ácido fólico, potássio, magnésio e cálcio. É considerado o citrino mais pequeno de todos, mas isso não significa que não possa fornecer grandes quantidades de minerais, vitaminas e nutrientes ao seu corpo. Como diz o ditado… pequeno mas poderoso.

PAPEL ADUANEIRO
A querimoya é uma fruta tropical que vem do Equador, especificamente dos Andes peruanos. Embora não seja a fruta de aspecto mais marcante, a verdade é que a sua polpa é refrescante, doce e suculenta. As principais propriedades desta fruta é que é rica em vitaminas B e C, bem como cálcio, ferro e potássio. Tem um grande valor energético, concretamente, um pedaço de maçã-creme de tamanho pequeno tem um total de 172 calorias, por isso é uma opção saudável, mas da qual também não devemos abusar.

MARACUYA
Também conhecido como maracujá, é uma fruta nativa da América Central. O seu sabor é doce, com um toque de ácido. Existem duas variedades de maracujá: uma com casca roxa e a outra com casca amarela. No entanto, a polpa interior é a mesma em ambas. Esta fruta contém principalmente vitaminas A e vitaminas B e C. É também rica em minerais como o cálcio, cálcio e magnésio. É também rico em minerais como cálcio, ferro, fósforo, zinco… E o melhor de tudo, contém quase nenhuma caloria, a sua ingestão calórica é semelhante à de uma maçã.

PHYSALIS
Pode tê-lo visto como parte da decoração de um bolo. A groselha-cabeleira ou physalis é uma fruta nativa da América do Sul que é amplamente utilizada na preparação de sobremesas. Consiste num pequeno fruto amarelo redondo, enrolado à volta de pequenas folhas verdes.
A principal propriedade da groselha-cabo é a sua grande contribuição de vitamina C e beta-caroteno, muito benéfica para preservar a boa aparência da pele e também a saúde dos nossos olhos.

LONGAN
Também conhecido como Olho de Dragão, o longan é um fruto formado por uma pele castanha que envolve uma polpa branca transparente. O seu sabor é doce, embora tenha alguns toques ácidos que o tornam mais interessante. Dentro da polpa esconde-se uma semente cujo tamanho muda em função da variedade de longan.
Graças ao seu elevado teor de vitamina C, este fruto tem uma grande função antioxidante, o que ajuda a fortalecer o sistema imunitário. Embora seja normalmente consumido como qualquer outra fruta, o seu sabor confere-lhe uma grande versatilidade na cozinha e é também utilizado para fazer molhos ou para acompanhar carne e peixe.

PÉROLA CHINESA
A pêra chinesa ou nashi é uma fruta originária da China cuja aparência faz lembrar as maçãs que comemos no Ocidente. No entanto, o seu sabor, sendo doce, é mais semelhante ao de uma pêra, e é por isso que é conhecida como pêra chinesa. Existem duas variedades desta pêra: o Shinseing e o Hosui, que diferem, basicamente, pela cor da sua pele.
Esta fruta, tal como as nossas peras, é amplamente utilizada na cozinha para cozer, uma vez que a sua consistência resiste a temperaturas elevadas e não se desfaz. Além disso, nutricionalmente pode fornecer-nos minerais como o cálcio e o magnésio.